Lentes Intra-Oculares

A seguir, comentaremos brevemente sobre lentes intra-oculares.

O que são lentes intra-oculares?

Lentes intra-oculares são lentes projetadas para serem introduzidas dentro do olho humano em cirurgias oftalmológicas. Existem vários tipos de lentes intra-oculares, assim como também existem vários tipos de cirurgias oculares. Dentre as cirurgias que necessitam de implantes de lentes intra-oculares, podemos mencionar as cirurgias refrativas, a cirurgia para a presbiopia e a cirurgia de catarata.

Nas cirurgias de catarata, de presbiopia e nas cirurgias refrativas com troca do cristalino, são implantadas lentes intra-oculares pseudofácicas. Já nas cirurgias refrativas sem troca do cristalino, são implantadas lentes intra-oculares fácicas.

O cristalino, por sua vez, é uma lente natural dos nossos olhos. Com o passar dos anos, o cristalino começa a perder as suas características funcionais, passando a apresentar problemas para o indivíduo, como a presbiopia e a catarata. Assim, a correção da presbiopia e da catarata, consiste na retirada do cristalino através da cirurgia de facoemulsificação e na conseqüente substituição deste cristalino por uma lente intra-ocular pseudofácica.

É possível corrigir o grau dos óculos com o implante de lentes intra-oculares?

Sim, é possível corrigir o grau dos óculos, tanto para perto, como para longe. Assim, é possível diminuir ou até mesmo eliminar o uso de óculos após o implante de lentes intra-oculares. Esta correção do grau dos óculos é feita através do implante de uma lente intra-ocular, a qual irá compensar o grau dos óculos. Estas lentes podem ser monofocais ou multifocais. As lentes monofocais podem corrigir o grau para longe, restando a necessidade de uso de óculos para perto. Já as multifocais, podem corrigir os graus de longe e de perto, sendo, portanto, uma ótima opção para quem deseja não usar mais óculos.

Existem muitos tipos de lentes intra-oculares?

Sim, existe uma grande variedade de lentes intra-oculares atualmente. Assim, o médico oftalmologista deverá realizar diversos exames a fim de orientar o paciente na escolha da melhor lente intra-ocular para cada caso, dependendo das peculiaridades do olho a ser operado. Felizmente, a evolução ocorrida nos últimos anos nos permite oferecer lentes que agregam alta tecnologia em materiais e características ópticas, a fim de atingir melhores resultados visuais (uma visão melhor) e com baixos riscos cirúrgicos. Além disso, lentes de ótima qualidade nos permitem diminuir ou, até mesmo, eliminar o uso de óculos após a cirurgia.

Quais são as características gerais de uma boa lente intra-ocular pseudofácica?

De um modo geral podemos dizer que uma boa lente intra-ocular pseudofácica precisa ter as seguintes características:

1. Ser dobrável, a fim de possibilitar a sua introdução no olho humano por incisões pequenas, a fim de evitar grandes cortes e diminuir a necessidade de pontos (sutura).
2. Ser de um material de boa qualidade óptica, a fim de oferecer uma visão mais nítida. Neste sentido, uma característica importante é a asfericidade da lente, que diz respeito às peculiaridades das curvaturas da lente.
3. Ser de um material com boa biocompatibilidade, ou seja, de um material que seja bem aceito pelo organismo, não gerando inflamação ocular ou sistêmica.
4. Ser de um material com alta durabilidade, a fim de evitar alterações tardias conhecidas como “glistening”.
5. Ser de um material que seja compatível com intervenções futuras, como LASER ou vitrectomia com óleo de silicone, que podem ser necessárias, especialmente em pacientes com retinopatia diabética.
6. Ter um design adequado para permitir uma boa centralização e estabilidade da lente na posição correta dentro do olho.
7. Ter bordas retas posteriores, a fim de evitar a opacificação da cápsula posterior no pós-operatório.
8. Ter bordas arredondadas anteriormente, a fim de evitar distúrbios ópticos chamados disfotopsias.
9. Ter filtro com proteção contra a radiação UV.
10. Ter boa estabilidade rotacional no caso das lentes tóricas.
11. Ter baixa indução de “glare” e halos, especialmente no caso das lentes multi-focais.
12. Ter características ópticas que permitam minimizar a perda da sensibilidade de contraste, especialmente em lentes multi-focais.

O que são lentes intra-oculares tóricas?

As lentes intra-oculares tóricas são lentes desenvolvidas para corrigir o astigmatismo do paciente, além de corrigir o erro refracional esférico (miopia ou hipermetropia). Estas lentes devem ter boa estabilidade rotacional, a fim de oferecer uma boa correção do astigmatismo por muitos anos, sem perder o seu efeito com o passar do tempo.

O que são lentes intra-oculares multifocais?

Lentes intra-oculares multifocais são lentes que visam corrigir o grau dos óculos para longe e para perto, fazendo com que possamos diminuir ou eliminar totalmente o uso de óculos após a cirurgia de catarata. Em outras palavras, estas lentes procuram oferecer uma boa visão para longe e para perto sem o uso de óculos.

Atualmente, as melhores lentes multifocais que existem no mundo, baseiam-se nos fenômenos ópticos conhecidos como refração e difração. Graças à evolução tecnológica, estas lentes costumam apresentar um ótimo desempenho na visão para longe e para perto, de um modo geral. Apesar de todos os avanços ocorridos, as lentes intra-oculares multifocais apresentam algumas limitações. As maiores limitações destas lentes dizem respeito aos fenômenos ópticos conhecidos como “glare” (ofuscamento) e halos, além da diminuição da sensibilidade de contraste, especialmente em condições de baixa luminosidade.

É necessário aplicar LASER nas lentes intra-oculares, após as cirurgias de facoemulsificação (cirurgias de catarata ou de presbiopia)?

Em alguns casos, depois da cirurgia, pode ocorrer a opacificação da membrana que envolve a lente, o que se chama opacificação da cápsula posterior do cristalino. Quando isto acontece, pode ser feita uma aplicação de LASER para melhorar a visão, chamada capsulotomia com YAG-LASER. Felizmente, as lentes intra-oculares de boa qualidade apresentam baixos índices de opacificação capsular, fazendo com que esta aplicação de laser não seja necessária em grande parte das vezes.

3 Comentários

  1. aldenira marinho disse:

    tenho 15 graus de miopia em cada olho e o oftamologista já me aconcelhou a fazer esta cirurgia porem tenho muito medo e receio de não dar certo, a cerca de 7 anos um outro médico fez todos os exames possiveis para realizar a interveção cirurgica atraves de lasik, porem foi descoberto que minha cornea é fina. tenho muita vontade de fazer porem muito medo tambem

  2. Paulo Cardoso disse:

    Dou os PARABÉNS PELO PELO EXCELENTE TRABALHO NO SITE.Aguarde meu retorno em breve,para que possa fazer minha cirurgia, conforme o senhor me sugeriu em consulta recente,no olho esquerdo cujo o único olho que tenho. Paulo Edemar Gonsalves Cardoso,brigada militar.

  3. Laerte Rodrigues disse:

    Em referência aos comentários de Aldenira posso ressaltar a excelência do procedimento cirúrgico. Não dura mais de vinte minutos e eu tinha 11 num olho e 9 no outro de miopia. Realizei o procedimento e é totalmente indolor e rápido. A recuperação é rápida e segura, e em poucas horas já se nota uma diferença bem grande, na visão. Embora quero ressaltar que a retirada do curativo se faz no outro dia após a cirurgia, o próprio paciente pode remover o curativo, no meu caso foi assim. Fiz por volta de dezoito e trinta ou dezenove horas e no outro dia conforme a orientação do cirurgião, removi a gaze e passei a aplicar o colírio usado para proteção de infecções. Esse colírio se usa em torno de duas semanas mais ou menos. Depois iniciei os preparativos para realizar no outro olho e enfim é outra coisa ver o mundo sem óculos!Aldenira faça e você vai ver a maravilha. Obs: essa mensagem é dada agora embora o comentário de Aldenira ser de três anos atrás, não sei se ela encarou ou não!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *