Cirurgia plástica de pálpebras (blefaroplastia)

Como se chama o excesso de pele das pálpebras? Por que isso ocorre?

O excesso de pele das pálpebras é chamado de dermatocálase e está associado ao envelhecimento normal dos seres humanos. Porém, algumas pessoas podem apresentar processos inflamatórios recorrentes na região palpebral, fazendo com que este excesso de pele ocorra mais cedo, o que é chamado de blefarocálase. Por esta razão, o excesso de pele na região palpebral também pode ocorrer em pessoas mais jovens. Além do excesso de pele, também é muito comum haver um excesso de gordura, por baixo da pele, formando bolsas de gordura na região das pálpebras.


O que é a blefaroplastia?

A blefaroplastia é um tipo de cirurgia plástica para corrigir o excesso de pele e gordura das pálpebras. O excesso de pele das pálpebras é conhecido como dermatocálase e ocorre na maioria das pessoas em função do envelhecimento. Além do excesso de pele, também é muito comum haver um excesso de gordura, por baixo da pele, formando bolsas de gordura na região palpebral.  Assim, a blefaroplastia é uma cirurgia plástica que nos permite remover o excesso de pele e o excesso de gordura da região palpebral, a fim de oferecer ao paciente um melhor resultado estético. Por esta razão, após a blefaroplastia, o paciente costuma apresentar um aspecto de rejuvenescimento facial.


Como é feita a cirurgia de blefaroplastia?

Primeiramente, o cirurgião utiliza uma caneta especial para fazer um desenho na pele do paciente, a fim de definir a área de pele que deverá ser removida. O excesso de pele é, então, removido através de uma incisão (corte) que segue o desenho feito previamente. Se houver necessidade, o cirurgião também remove o excesso de gordura existente embaixo da pele. Por último, finalmente, o cirurgião realiza o fechamento da incisão, através de sutura (pontos) feita com um fio especial, bem fino, a fim de obter um bom aspecto estético.


Como é a anestesia nas cirurgias de blefaroplastia?

A cirurgia de blefaroplastia pode ser feita apenas com anestesia local, sem sedação. Porém, na maioria das vezes, associa-se uma leve sedação sistêmica, a fim de oferecer mais conforto e tranqüilidade para o paciente.


Como é a recuperação após a cirurgia de blefaroplastia?

Geralmente, logo após a cirurgia, a região palpebral costuma ficar inchada, o que chamamos de edema palpebral. Além do edema, também é muito comum haver uma coloração roxa na região palpebral, o que é conhecido como hematoma. Tanto o edema como os hematomas vão diminuindo com o passar do tempo, de tal modo que, após alguns dias ou semanas, eles desaparecem totalmente. Este tempo de recuperação varia de um indivíduo para outro, mas geralmente não ultrapassa 30 dias.


Pode pegar sol, após a cirurgia de blefaroplastia?

Recomendamos que o paciente evite a exposição solar, principalmente, nos primeiros três meses  após a cirurgia de blefaroplastia. Além disso, o ideal para a saúde da pele é usar cremes com proteção contra as radiações solares, recomendação esta que vale para todas as pessoas, mesmo para quem não fez a cirurgia.

4 Comentários

  1. […] As pálpebras são as duas membranas que recobrem os olhos, havendo uma pálpebra superior e outra inferior para cada olho. As pálpebras apresentam estrutura bastante complexa, pois diversos tecidos participam de sua composição. Externamente, as pálpebras são revestidas por epitélio queratinizado, semelhante à pele que recobre o restante da face. Nos bordos palpebrais, por sua vez, encontramos os cílios. Diversas doenças podem afetar os bordos palpebrais, como nos casos de triquíase, ectrópio e entrópio. Nos bordos palpebrais também encontramos as glândulas de Meibomio (ou meibomianas), as quais produzem o componente oleoso do filme lacrimal (a oleosidade da lágrima). A inflamação e/ou infecção das glândulas meibomianas se chama meibomite, mas também é conhecida como blefarite (blefarite, na verdade, seria uma inflamação mais difusa das pálpebras). Internamente, as pálpebras são revestidas pelas conjuntivas (chamadas de conjuntivas tarsais), que constituem uma camada mais delicada (membrana mucosa). Já na porção interior das pálpebras, encontramos o músculo orbicular, o qual é o responsável pelos movimentos palpebrais, como o fechamento palpebral e ato de piscar, por exemplo. Espasmos deste músculo podem ser bastante desagradáveis e ocorrem principalmente em situações de estresse físico e/ou mental. Com o envelhecimento, as pálpebras sofrem diversas alterações, como o surgimento de dermatocálase, por exemplo. A dermatocálase consiste no excesso de pele na região palpebral e pode ser corrigida através de uma cirurgia plástica chamada blefaroplastia. […]

  2. Reconheço que achei seu blog ótimo, pois seus posts são sempre muito bem elaborados. Precisava mesmo conhecer mais sobre isso e você produziu uma grande fonte de conhecimentos aqui. Continuarei seguindo seu blog enquanto persistir com o excelente trabalho. Meus cumprimentos!

  3. Waleska Maciel franchi disse:

    Olá, a blefaropalstia em jovens, adolescentes houvi dizer que este tipo é congênita, gostaria de saber mais informações sobre esse tipo. Se isso é uma mal formação, etc.
    Obrigada

  4. Wanderlucia disse:

    Muito esclarecedor. Era exatamente as informações que eu precisava. Parabêns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *