Crosslinking do colágeno corneano

O que é o crosslinking do colágeno corneano?

O crosslinking do colágeno corneano é uma técnica que foi desenvolvida pelo Dr Theo Seiler para estabilizar o ceratocone, impedindo ou diminuindo a progressão do mesmo. Esta técnica consiste em desepitelizar a superfície da córnea, pingar uma solução contendo riboflavina (vitamina B2) e aplicar um tipo específico de radiação ultra-violeta (UVA) por 30 minutos.

Como funciona o crosslinking do colágeno corneano?

Através deste método, ocorre a formação de ligações covalentes entre as fibras de colágeno que compõe o estroma corneano (estrutura da córnea), justificando o nome crosslinking, que significa ligações cruzadas, em inglês. Estas novas ligações, por sua vez, aumentam a rigidez da córnea, tornando-a mais resistente e dificultando a progressão do ceratocone.

Quais são as vantagens do crosslinking para o tratamento do ceratocone?

A principal vantagem do crosslinking consiste em evitar ou diminuir a progressão do ceratocone. Em alguns casos, é possível, inclusive, atingir uma regressão parcial do ceratocone (melhora do ceratocone).

Como é a anestesia para o procedimento de crosslinking?

Durante o procedimento, utiliza-se anestesia tópica, ou seja, uso de colírios anestésicos, não havendo necessidade de uso de injeções ou anestesia geral. Após o procedimento, o paciente é liberado para ir para casa, onde fará uso de comprimidos analgésicos e colírios, a fim de evitar a dor e permitir uma recuperação rápida e tranqüila.

O crosslinking é feito nos dois olhos no mesmo dia?

Embora seja possível, não se recomenda realizar o crosslinking nos dois olhos no mesmo dia. Assim, recomenda-se um intervalo de alguns meses para que o primeiro olho esteja totalmente recuperado antes de realizar o procedimento no segundo olho.

Existem outras aplicações para o crosslinking?

Sim, o crosslinking pode ser usado para outras finalidades, além do tratamento do ceratocone. Um exemplo disto consiste no uso do crosslinking para combater o melting corneano. Melting corneano, por sua vez, é um termo em inglês usado para descrever uma situação na qual a córnea está se desmanchando, como se estivesse derretendo. O melting corneano é uma situação bastante grave e pode ser causado por diversas doenças que afetam a córnea. Por aumentar a rigidez da córnea, o crosslinking pode ser usado para tratar os casos de melting corneano, representando um grande avanço no tratamento desta alteração da córnea. Além do melting, outra aplicação do crosslinking consiste no seu uso como terapia coadjuvante no combate de infecções corneanas.

4 Comentários

  1. […] do sangue, por exemplo. Outra aplicação da radiação UV consiste no seu uso para promover o crosslinking do colágeno corneano, através de uma técnica desenvolvida pelo Dr Theo Seiler para tratar os casos de ceratocone e […]

  2. Cristiano B. - São Paulo disse:

    Parabéns pelo texto. Está bem claro e educativo.

  3. Daniel Spinosa Krieger disse:

    Que bom que já existe um tratamento para o ceratocone!
    E depois do crosslinking, dá p/ fazer cirurgia para eliminar os óculos?
    Daniel Spinosa Krieger – Porto Alegre

  4. Miguel Pazzenatto disse:

    Gostei muito do artigo. Obrigado.
    Miguel Pazzenatto – Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *